Marcado: Petrônio Alves

Depoimento: Petrônio Alves

O professor Paulo de Tarso Moraes, de quem tive a felicidade e o orgulho de receber muito conteúdo gramatical, e sobre a língua portuguesa em geral, inclusive, Literatura; é uma Enciclopédia Ambulante em forma de pessoa humana. Não somos poucos, no Maranhão, os que apreenderam suas envolventes e incansáveis lições da linguagem popular e culta, na esteira do idioma luso-pátrio! Detentor de um inigualável método didático de transmissão da cultura brasileira, em todos os campos onde a exigência do perfeito vernáculo se faz premente.  Versado, como ninguém, nos assuntos da Literatura Maranhense, o que, e se esse fosse o critério da escolha para ocupar a imortalidade literária na Academia Maranhense de Letras, o tornaria imbatível no cultural duelo aferido na plêiade da intelectualidade da Casa. Militante intrépido da Gramática, da Literatura e da Cultura Geral. O texto de sua lavra, sempre mobiliza os interessados em apreender o melhor do mundo da cultura. A postulação do professor Paulo de Tarso Moraes, à assunção da Cadeira nº 16 da Academia Maranhense de Letras, de per si, revela-se de uma incomensurável acolhida por nós outros comuns do povo! O que dizer sobre a visão dos doutos da hospitaleira Casa de Antônio Lobo acerca do justo pleito daquele cujo genitor também foi membro do Sodalício das Letras Maranhenses na mesma Cadeira 16, recentemente deixada pelo incomparável Neiva Moreira?Petrônio Alves – ex-aluno e advogado.