Marcado: Letras

Depoimento: Wanda Cunha

As academias de letras, no Brasil, seguindo à risca o modelo da Academia Francesa, têm como objetivo primordial cultuar a língua nacional. A Academia Brasileira de Letras, conforme seu estatuto, “tem por fim a cultura da língua e da literatura nacional”. A Academia Maranhense de Letras, “tem como objetivo social o desenvolvimento da cultura, a defesa das tradições maranhenses e o intercâmbio com os centros de atividades culturais do Brasil e do exterior”. O professor Paulo de Tarso Moraes (Pautar) preenche todos os requisitos para ocupar uma cadeira na Casa de Antônio Lobo. Além de contribuir para o desenvolvimento da cultura, conhecedor que o é de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, professor que abraça com esmero a profissão, faz parte de família tradicional de imortais ilustres, a exemplo de seu avô (Nascimentos Moraes), seu pai (Paulo Moraes) e seu tio (Nascimento Moraes Filho). Se o professor conquistasse um assento acadêmico, ganhariam as letras, a Academia e o MaranhãoWanda Cunha, escritora.

Depoimento: Marco Duailibe

A minha história com a família Nascimento Moraes começou desde o meu primeiro contato com o mundo do conhecimento. Fui aluno de Nadir Moraes e de Paulo Nascimento Moraes, na minha infância e adolescência, nos tempos do Colégio Zoé Cerveira. Grandes mestres que me ensinaram lições inesquecíveis, para toda a vida. Anos depois, o destino me faz mergulhar no passado ao me apresentar Paulo de Tarso Moraes, nosso amigo Pautar, nos tempos do curso de Letras da UFMA. Inteligente, estudioso, sempre lutou pelos seus ideais e soube honrar a fama de ícone de sabedoria de sua família. Este ano, comemoramos o centenário de seu pai, que ocupava a Cadeira 16 da Academia Maranhense de Letras e que, há pouco tempo, era ocupada pelo grande Neiva Moreira. Nada mais justo condecorar esses 30 anos de magistério, de amor a nossa língua e a nossa terra, concedendo-lhe esse título que já foi de seu pai e que, agora, pode fazer de sua história, um momento imortal. Paulo, por mérito, essa cadeira 16 é suaMarco Duailibe, publicitário, músico e compositor.