Marcado: Educação

Depoimento: Teresa Valois

É-me impossível esquecer aquela turma com quem aprendi e desaprendi. Foi uma turma marcante porque era marcada por crianças deliciosas, buliçosas, instigantes, responsáveis e respeitadoras! (hoje, não sei como se diz isso…). Mas, tu, Paulo, tiveste a tua singularidade marcada desde tua caminhada de tua casa para a escola – no Monte Castelo – andando pelas calçadas abrasadas pelo sol do meio-dia. Caminhavam, com um cadenciado especial, tu e tua mãe, Dona Emília, um ao lado do outro, num silêncio pleno de zelo, amor e prazer. Tua trajetória na Escola “Santa Terezinha” foi marcada pelo teu tempo singular… Foste um aluno voltado para o futuro quando zelavas pelo teu modo de pensar próprio e pela forma de cordial de sempre te relacionar com colegas e professores. Hoje, professor, tu não te limitas apenas ao labor da sala de aula, como outrora ousava voar com tua palavra e tua convicção. Sempre excelente aluno, bom leitor – o que aprendeste também em casa com o hábito de teu saudoso pai – representaste, à época, uma referência para teus colegas. Para mim, és uma memória/ lembrança de um laboratório da minha sobrevivência docente. Aprendi muito contigoTeresa Valois, professora do ensino fundamental na escola Santa Teresinha.

Depoimento: Antônio de Jesus

Tive a oportunidade de conhecer o professor Paulo de tarso no fim dos anos oitenta, quando fui trabalhar no Colégio Batista Daniel de La Touche, no bairro do João Paulo. Encontrei, então, um excelente amigo e companheiro. Professor espetacular, dono de um domínio da língua pátria impar. Era e ainda o é querido pelos seus alunos e discípulos. Profundo conhecedor dos meandros da língua portuguesa, considerado um dos melhores mestres dessa disciplina em nosso Estado, onde, ao longo de mais de trinta nos, é educador incansável. Homem honesto, senhor de uma história familiar grandiosa de saudosos poetas, tornou-se um pai exemplar e cuidadoso da sua família, herdeiro de um tino para a escrita e versado em uma prosa fabulosa. O professor Pautar, como assim carinhosamente ficou conhecido, foi e é um homem de grande valia para todos que o conhecem pessoalmente, é um construtor incansável no ensino da língua portuguesa, um mestre na arte do bem falar e da narrativa eloquente ao encaminhar a juventude para bons caminhos e costumes. Ao professor Pautar devo parte dos meus muitos dias em uma boa e construtiva companhia no aprendizado constante do nosso português maranhense “cantado” e decantado por povos de outros estados e, também, no árduo trabalho de educar a nossa juventude, missão sempre encarada com prazer por esse emérito mestre da nossa língua pátriaAntônio de Jesus Pacheco Santos, professor de Biologia e Ciências Naturais de escolas da rede pública e privada de São Luís.